quarta-feira, outubro 30

Crítica: Os Suspeitos (2013)


Por Maurício Owada

"Qual o limite de sua fé?"

Desde Se7en - Os Sete Crimes Capitais (Se7en, 1995) e Zodíaco (Zodiac, 2007), pouquíssimos filmes mantinham um padrão de qualidade acima da média, seja pela narrativa ou por uma direção que soubesse trabalhar bem com o suspense. Em tempos de vacas magras, Hollywood se depara com gratas surpresas, ainda mais quando confiam um filme nas mãos de um diretor de fora, que geralmente carrega uma bagagem diferenciada. Aclamado diretor de Incêndios (Incendies, 2010), o diretor canadense Denis Villeneuve apresenta um trabalho autoral bastante ousado.

Ambientado em Boston, conta a história de duas meninas que desaparecem, sendo que o pai de uma delas, Keller Dove (Hugh Jackman) parte em uma busca incessante pelo paradeiro de sua filha, enquanto isso, o detetive Loki (Jake Gyllenhaal) junta as peças que poderá revelar onde estão as meninas. O paralelo da busca dos dois personagens principais conduz a trama de um jeito que ela se revele por beiradas diferentes, como um quebra-cabeça. 

Contando com um elenco competente, os atores principais dão um show a parte, construindo dois personagens muito bem construídos, que buscam pela verdade e partem em uma jornada tortuosa que desnivela para caminhos intensos. O restante do elenco está excelente e ajudam a carregar o filme, tendo Viola Davis, Terrence Howard, Paul Dano, David Dastmalchian e a "camaleão" Melissa Leo, também em uma excelente caracterização.

Os aspectos técnicos segue todo o cuidado minimalista para a construção do clima de suspense, o uso intenso do azul na fotografia, que traz um tom deprimente ao filme, assim como o som ajuda a construir a tensão e o uso dela no final é simplesmente genial. A chuva pesada presente durante quase todo o longa traz a sensação de estarmos sufocados e perdidos, assim como ficam os personagens na busca pelas meninas. 

O roteiro de Aaron Guzikowski explora não apenas personagens saindo do seu estado de segurança (bastante caracterizado na personalidade de Keller, pelo menos a busca por ela) por causa do sequestro das duas crianças - uma situação que por si só já deixa os espectadores aflitos -, mas também carrega a reflexão da fé de forma não tão simplista e piegas, porém bem trabalhado e de uma forma mais crua e pesada, que ajuda na condução de seus personagens e acrescenta algo mais substancial a carga dramática, bastante explícito no Pai Nosso orado por Keller ou pelo dilema "Espere pelo pior, reze pelo melhor!". Neste quesito, o tema se assemelha bastante com Se7en, porém ele é bem melhor explorado e aprofundado. Keller é um personagem tridimensional, é um bom homem que busca salvar a filha, mas utiliza de métodos bastante questionáveis e a todo momento, percebemos seu medo ao que pode acontecer vendo até que ponto sua atitude chegou - se fosse para ir ao inferno, que não fosse em vão. É esse fundo religioso que transforma uma simples história de sequestro em algo mais além e de um certo modo, a nos fazer refletir sobre nossas atitudes.

Com uma direção maravilhosa, Os Suspeitos (Prisoners) é um filme tenso do começo ao fim, ainda mais impressionante como uma obra de duas horas e meia consegue prender a atenção do seu espectador, utilizando do tempo consideravelmente longo com uma forma de construir um suspense sufocante, que nos deixa mais apreensivos em seu desenrolar. Um dos melhores suspenses dos últimos anos.

Nota: 8,5/10,0




Trailer:

26 comentários:

  1. Ñ gostei do final,pelo menos o apito deveria servir para o detetive encontrar o pai de ana......mto suspense para um final tão ruin.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho o contrário, mas entendo o desapontamento, é um final bastante controverso, mas achei interessante por fazer você imaginar a inteligência do detetive se dará atenção ou não ao apito, mas...

      Excluir
  2. fiquei extremamente chateado com o final que ao invés de acabar com todas as duvidas deixou ainda a duvida ?o detetive achou ou não o pai?pela ligação do apito com a historia subtende-se que achou mais e ai ? ..........

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A escolha do final (aposto que devem ter filmado o final, mas talvez na edição decidiram fazer de outro modo) é ousada, mesmo que ela em sua essência fosse duvidosa, mas o que gostei é como o filme mantém o suspense até o último minuto, é um filme desesperançoso, é só ver na imagem de um pai da família que adquire métodos de tortura, ele finaliza aquilo que mantém durante todo o filme, que é ambiguidade de cada personagem, ninguém é o que parece (não no modo que cause aquela tipica reviravolta de filme comum) e a ambiguidade do que acontece e do que a gente prefere ver e as justificativas pra ela.... e acho que isso acabou sendo mais uma extensão da minha crítica... rsss.

      Excluir
  3. Adorei o filme, a ousadia do diretor e o final, mesmo com um pequeno nó na garganta, foi bem construído.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Spoiler!

    Gente, o final embora não apareça o "Wolverine" sendo resgatado, ficou subentendido, né.

    O personagem do Jake Gyllenhaal ouviu o apito, logo ele (Wolverine) foi resgatado.
    Gostei do final não tão óbvio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respeito sua opnião mas eu penso que a demora, a perda de sangue e o fraco apito me diz que foi o ultimo suspiro dele e todos foram embora.

      Excluir
  5. Para quem está habituado ao padrão hollywoodiano do final feliz, realmente o final deste filme não irá agradar... porém aqueles que, como eu, amam o cinema do tipo "assista e fique com o filme na cabeça por dias" este final é simplesmente excelente! A diferença entre os enlatados e este filme é justamente esta: este faz o telespectador pensar, ao contrário de outros que quando acaba, a gente sai do cinema ou desliga a televisão e esquece...
    Respeito a opinião de quem critica o final, entretanto admiro aqueles que assim como eu entendem este final como um nó que deve ser desatado por nós mesmos...

    ResponderExcluir
  6. Eu não vi os filmes que foram assimilados a este em sua crítica e nos outros sites relacionados, mas posso compará-lo com o único suspense que havia me impressionado até então, o inesquecível "Plano de Vôo", que coincidentemente trata das investigações do sequestro de uma garotinha. Eu vi "Os Suspeitos" hoje e confesso que não dava nada pelo longa, também não sei dizer que cena me fisgou, mas o que tenho de certo é que foi um tempo muito bem gasto! Atuações que impressionam, roteiro que alimenta a curiosidade do expectador, e tudo o mais! Sou do time dos que adoraram o final "alternativo", e a única decepção foi não ver o tão esperado reencontro de pai e filha! No mais, nota 90/100.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Revendo o final, com o som no "máximo", pude entender (o som do apito é bastante mínimo, rs).
    Ele (Jackman), foi resgatado, nota-se pelo olhar do detetive no desfecho.
    O único detalhe é sabermos se ele foi absolvido por ter torturado o "moleque".

    ResponderExcluir
  9. Ótimo filme, um dos melhores que vi, junto com Ilha do Medo e Se7en.
    No hospital o detetive já deixa a entender q caso Keller seja encontrado irá pagar pelo crime cometido
    E o soar do 1° apito faz o detetive achar q está ouvindo coisas, e no 2° apito deixa óbvio o resgate, final grandioso fugindo dos cliches de Hollywood.

    ResponderExcluir
  10. Eu não entendi quando a menina (Joy) disse pro Keller no hospital que ele estava lá e tinha ajudado a amordaçar elas o.o
    Eu boiei DEMAIS nessa parte..... Vocês entenderam?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vish.... boa pergunta, moça! Eu vou rever pra ver se pego algo novamente.

      Excluir
    2. Como a menina tinha sido drogada (como todos os sequestrados) ela não consegue associar bem as coisas! Quando ela diz que ele estava lá, deve ter sido quando ele foi visitar a tia e falou que tinha sonhos com labirinto, e, provavelmente (é o que penso) a menina estava em algum cômoda da casa e ouviu a voz dele, ou então, no momento em que ela está fugindo, é o momento que ele está chegando na casa para falar com a tia! Por isso, quando a menina diz que "ele estava lá", a ficha dele cai, e ele se toca que o cativeiro só poderia ser na casa da velha, visto que ele tinha certeza do envolvimento do suposto sobrinho (Alex) e juntou os fatos! Certo?

      Excluir
    3. Com certeza!! Mesmo que não tivesse juntado as peças, só veio a ideia de que a menina poderia estar lá...

      Excluir
  11. Achei engraçada a decisão do diretor sobre o final. Se ele quis fazer um final diferente e alternativo, acabou sendo cliche como muitos outros filmes com finais abruptos. Não havia necessidade disso, pois ele não fugiu da lógica enlatada hollywoodiana, pois: a vilã no momento crucial não injeta totalmente a substancia que mataria a garotinha, o policial "salva o dia", mostra que é "errado fazer a justiça com as próprias mãos", enfim, tudo que se espera de um filme mainstream. Portanto, não custava nada dar um final convencional a um filme convencional. Não estou dizendo que não gostei do filme, pelo contrário, mas não gostei da edição final, que quis fugir da mesmice tomando uma atitude não mais inovadora, que é aquele final em que o espectador fica com "cara de tacho", tentando deduzi-lo. Eu deduzi que o pai da menina é salvo e vai preso.

    ResponderExcluir
  12. Assisti esse filme ontem e recomendo muito!! Confesso que me surpreendeu, apesar de ter pensado logo no início que a tia do Alex estava envolvida. Mas a verdadeira história do Alex foi pra mim a maior revelação do filme. É muito bom quando um filme te instiga a solucionar o problema, as pistas que vão surgindo no meio do caminho me fizeram sentir como uma parceira de investigação! Haha
    Atuações primorosas, enredo muito bem amarradinho.

    ResponderExcluir
  13. Adorei o filme, porém, algumas questões pra mim ficaram sem respostas. A primeira, me convenceu com a resposta do royamaua no comentário anterior, o sobre o pai ter sido visto na ksa enquanto as crianças estavam lá. Vamos as outras: As crianças ficavam no buraco ou na casa da tia? Pois qdo elas fugiram, estavam deitadas no chão da casa e qdo a tia tenta matar a loirinha, ela já estava na casa. Mas elas Tbm ficavam no buraco, pois o apito estava lá. Na ksa n deviam ficar, pois poderiam serem descobertas...
    O labirinto é tão destacado apenas pelo cordao do torturador?
    O cara q suicida na delegacia, tbm foi sequestrado e torturado pelo marido da tia?
    Esse torturador de 16 crianças, foi encontrado morto amarrado no porão do padre após confessar tais crimes, mas foi o padre q o deixou lá até a morte?
    Agora alguns comentários, será q um cara aguentaria ser torturado como foi só por já ter sofrido tanto na vida???
    Em uma das cenas de tortura, ele menciona o labirinto, exatamente no momento q o outro estava preso, sem ele saber, e estar desenhando um labirinto. Oq isso tem a ver??? Oq de tão marcamte tem esse labirinto?
    E a tia nas cenas finais, simplesmente "entregando o jogo" e tentando matar a loirinha e "deixando" ser morta, foi meio forçado.
    PS: acho q o cara foi achado, o tal apito o salvando, sendo preso pela tortura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma questão que espero esclarecer, Ricardo, quando rever... rs :)

      Excluir
    2. Vejamos...
      As crianças não ficavam no buraco, ficavam na casa da velha e no buraco ela só ia jogar elas quando estivem mortas, tanto que ela falou que iria desovar o corpo da filha lá. Por isso no final quando ela estava injetando aquele líquido para filha do Keller morrer, ela já estava com a porta aberta preparada para pegar a criança e jogar lá, entendeu? Por isso pareceu entregar o jogo, mas não.
      Esse tal labirinto não existe! É uma invenção do marido da velha que foi morto pelo padre, aquele que estava no porão do padre. E aquele assassino de crianças só copiava, era um mero copiador, que no caso também era para disfarçar e esconder o verdadeiro ou A VERDADEIRA ladra de crianças que era a velha.

      Excluir
    3. E sim esse assassino que foi preso, também foi sequestrado por esse casal.

      Excluir
    4. Essa critica esclarece muitas dúvidas:

      http://danizudo.blogspot.com.br/2014/03/o-significado-esoterico-do-filme-os.html

      Excluir
  14. O filme é muito bem construido e os trabalhos tanto do Hugh Jackman quanto do Paul Dano (recomendo "FOR ELLEN") sao fantásticos. Sem falar no Jake Gyllenhaal, (um provável "fetiche" para o director). No seu segundo filme Mr. Villeneuve mostrou a que veio ao mundo. Como eu disse no comentario de O HOMEM DUPLICADO: Longa vida a Villeneuve! :)

    ResponderExcluir
  15. Só agora tive a oportunidade de assisti-lo. Cono já disseram, um filme que prende sua atenção do princípio ao fim, certamente merece elogios. Filme Formidável.

    ResponderExcluir
  16. Eu amo Jake Gyllenhaal em Os Suspeitos ❤️ Lembro dos seus papeis iniciais, em comparação com os seus filmes atuais, e vejo muita evolução! Desfrutei muito sua atuação em Vida Inteligente Mostra personagens com maior seguridade e que enchem de emoções ao expectador. "Vida" é resultado de uma grande produção e muito bom elenco! Adoro esse tipo de histórias de ficção científica e horror. Realmente a recomendo!

    ResponderExcluir

Aqui é o seu espaço, pode deixar seu comentário, sugestão ou crítica que logo iremos respondê-lo!